terça-feira, 23 de setembro de 2014

Importância da atenção ao tipo de pisada em crianças

http://www.klin.com.br/blog/wp-content/uploads/2011/07/Caminhando-P1.jpg
pé areia euatleta (Foto: Getty Images)

As pessoas portadoras de pés planos, conhecidos como pés chatos, têm a tendência de pisar para dentro, com a borda interna dos pés, ou seja, são chamados de pronados. O que causa desequilíbrio na pisada e na marcha provocando várias lesões como entorses de tornozelo que ocorrem com mais freqüência.

Acesse o Faça Fisioterapia

Ao detectar-se pés planos no bebê, os pais devem ficar alertas, conversar com o médico para trabalhar os pés da criança desde cedo, para prepará-las para a marcha. O caminhar em diferentes solos com diferentes texturas, solos irregularidades, bolas, apanhar objeto com os pés.

Na natação, a criança trabalha nas atividades de psicomotricidade os pés e o equilíbrio de todo o corpo. O uso de botas ortopédicas e palmilhas é muito discutido, cada caso é um caso, mas os exercícios citados são imprescindíveis.

O caminhar e o brincar, correr na areia fofa, são um dos melhores exercícios. O andar descalço em diferentes tapetes, subir e descer obstáculos, o trabalho psicomotor é muito indicado para fortalecer e dar mobilidade dos pés.

A criança var crescendo com trabalho direcionado visando aumentar o arco plantar, ou seja, a curvatura da sola dos pés. Quando recebemos o paciente adulto, orientamos exercícios que de vem ser feitos para o resto da vida para fortalecimento e alongamento muscular e flexibilidade articular, mas não é possível ganho de arco plantar.

É necessário um trabalho de fortalecimento dos músculos envolvidos na articulação do tornozelo e de toda a perna. É fundamental trabalho de equilíbrio e propriocepção para ativar as reações de equilíbrio para diminuir ou zerar os entorses.

Leia mais ...

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Video: Técnica de expansão pulmonar em crianças





Técnicas que visam aumentar a ventilação alveolar e evitar a hipoventilação;

- Estas técnicas incluem manobras:

* manuais

* orientadas pelo fisioterapeuta

* utilizadas com aparelhos;


Objetivos:

- Expansão pulmonar pela elevação do volume pulmonar e aumento do volume inspiratório (associado com o padrão respiratório do paciente como: FR, profundidade, ritmo e caráter da ventilação);


“Visa melhorar as condições da mecânica respiratória (hipoventilados ou hiperinsuflados), debilidade muscular, incoordenação repiratória ou qualquer padrão ventilatório espontâneo que leve a uma desvantagem mecânica e a suprimento de O2 insatisfatório ao organismo” (Dirceu Costa)
Leia mais ...

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Ginástica respiratória para bebês


Veja o que é ginástica respiratória para bebês, como é feita e os benefícios que ela pode trazer para a saúde do seu filho.

No inverno os bebês e as crianças menores estão sujeitas a contrair infecções respiratórias devido à baixa resistência e também através do contato com pessoas infectadas. Um dos fatores agravantes nesses casos é o fato de que a criança não consegue expelir as secreções que acabam se acumulando nos brônquios e nas vias respiratórias aéreas centrais e periféricas dificultando a respiração.          

A ginástica respiratória  ou fisioterapia respiratória é um conjunto de técnicas que são utilizadas como complemento no tratamento das infecções das vias aéreas superiores. Sendo indicada para bebes e crianças. Saiba mais sobre os benefícios da ginástica respiratórias e as técnicas de aplicação.

Ginástica para bebês benefícios


A obstrução das vias respiratórias causadas pelas secreções causa a irritabilidade e impossibilitam que o bebê tenha um sono tranquilo, além de contribuírem para o surgimento de infecções em outras áreas. A redução dos sintomas que a infecção ocasiona faz com que desapareça o cansaço e a irritação, melhora e fortalece a função respiratória e previne contra o acumulo de secreções.

A adoção dessa modalidade de terapia produz vários benefícios à saúde e desenvolvimento do bebê. A desobstrução dos brônquios e o fortalecimento dos músculos respiratórios é um dos benefícios que ginástica respiratória produz a curto e em médio prazo. A sessão diária da ginástica respiratória resulta no desbloqueio das vias respiratórias.

O procedimento proporciona o alívio imediato. A normalização da respiração reduz a tosse e a dispneia (falta de ar) e faz com que o sono seja tranquilo e restaurador. Os exercícios respiratórios induzidos ajudam a prevenir contra possíveis sequelas que as infecções do trato respiratório podem ocasionar, tais como a asma e a bronquite crônica.

Ginástica para bebês controvérsias


Durante o processo de massagem e compressão do tórax, o bebê pode vir a ter crises de choro. O choro do bebê pode deixar os pais ansiosos ou mesmo temerosos. No entanto, na maioria das vezes o choro é benéfico para o bebê, pois ajuda a expelir as secreções e também exercita os pulmões. Outro questionamento muito comum é sobre o fato de que a ginástica atuar somente nos sintomas e não nas causas da infecção.

No entanto é valido lembrar que a fisioterapia respiratória é apenas um complemento e que o tratamento das infecções do trato respiratório inclui o emprego de medicamentos usados através de nebulizadores e outros agentes farmacológicos.

Como fazer

Primeiramente é preciso à indicação do pediatra para a realização da terapia. A massagem e todo o processo devem ser realizados por um fisioterapeuta devidamente qualificado. O que não impede que os pais aprendam algumas técnicas e as utilizem em casa. Alguns exercícios são simples e fáceis de executar. A desobstrução brônquica é feita através de massagens e pressões manuais no abdômen e tórax.

Induzir as contrações faz com o fluxo respiratório desloque as secreções contidas no pulmão e que posteriormente sejam eliminadas através da tosse. Nas crianças menores de dois anos que não tem tosse voluntária, utiliza se técnicas que provoque a tosse. Nos casos em que haja excesso de catarro, é aconselhável a inalação de soro fisiológico ou a umidificação complementar.

Esse conjunto de ações permite que a desobstrução ocorra de forma rápida e eficaz. Lembrando que a terapia deve ser executada por profissionais da área de saúde e com prescrição medica.

Assista ao vídeo e entenda um pouco mais sobre a ginástica respiratória para bebês e crianças e os benefícios que ela pode proporcionar:

Leia mais ...

terça-feira, 22 de julho de 2014

Bebê prematuro: os cuidados vão muito além da UTI neonatal

bebe-prematuro-cuidados

Ser prematuro exige atenção especial não só nos primeiros meses de vida. Conheça medidas e cautelas necessárias para garantir um desenvolvimento saudável da infância à idade adulta.

Como acontece com outros milhares de pessoas todo ano, eu vim ao mundo antes de completar os nove meses de gestação: minha mãe teve pré-eclâmpsia, condição marcada por pressão alta nessa fase, e isso fez com que eu perdesse peso nos meses finais da minha estada dentro da barriga. Devido aos riscos que nós corríamos, o obstetra optou pelo parto na 36ª semana de gravidez, tempo insuficiente para que eu escapasse de ser prematura.

No entanto, ninguém avisou a minha mãe que os cuidados com o bebê não se restringiam às semanas na UTI neonatal e aos primeiros meses em casa. Que o ideal seria estender um acompanhamento mais rigoroso até a adolescência e, quem sabe, a idade adulta. Bom, mas isso foi lá em 1990. Com os avanços na pesquisa médica desde então, já ficou claro que as crianças apressadinhas estão mais suscetíveis, ao longo da vida, a problemas decorrentes da prematuridade.

A preocupação com esse tema cresce não só porque a maioria dos pais desconhece a necessidade dessa atenção prolongada mas também em função do aumento expressivo no número dos chamados nascimentos pré-termo no Brasil e no mundo. 

As consultas com o pediatra e outros especialistas permitem corrigir desvios capazes de comprometer o desenvolvimento físico e psicológico, além de nortear atitudes para prevenir complicações por muitos e muitos anos. A começar pelo coração. Estudos apontam que os pré-termos estão mais propensos à síndrome metabólica lá na frente, aquela combinação de inimigos das artérias, como pressão alta, colesterol elevado e acúmulo de gordura na barriga. Sem um suporte médico adequado ao nascer, o indivíduo tende a ter problemas com placas nos vasos mais precocemente, logo no início da vida adulta.

Os comprometimentos futuros pioram quando existem alterações anatômicas no coraçãozinho do prematuro. Cientistas da Universidade de Oxford, na Inglaterra, acompanharam, por 20 anos, 102 indivíduos cujo parto havia sido antes do termo. Após compará-los com pessoas que ficaram na barriga da mãe até os nove meses, eles viram que o ventrículo direito do coração daqueles que chegaram apressadinhos era menor e com capacidade reduzida de bombear sangue. Essa população deveria ficar alerta quanto à maior possibilidade de ter pressão alta mais tarde. Ou seja, há motivos suficientes para recomendar uma avaliação cardiológica criteriosa na infância e incentivar, desde cedo, alimentação balanceada e prática de esportes.

O cérebro do prematuro também pode penar um pouco mais para ficar tinindo. Em um experimento da King's College London, na Inglaterra, pesquisadores avaliaram a massa cinzenta de 55 prematuros e de dez bebês nascidos no período ideal. Os achados demonstraram que, nos casos de parto precoce, houve uma falha na formação de áreas ligadas, por exemplo, à memória e às emoções, o que poderia atrapalhar, anos adiante, funções cognitivas e o aspecto comportamental.

  Mas não há razão para mamães e papais entrarem em pânico. O cérebro dos pequenos é, ainda assim, capaz de reverter essa situação graças à plasticidade neural, fenômeno que permite ao órgão se moldar de acordo com novos estímulos e situações. O interessante é que o afeto e o apoio da família potencializam as conexões entre os neurônios. Toda criança deve ser instigada a trabalhar habilidades motoras e a desenvolver a linguagem e a sociabilidade. E isso é mais importante no caso dos prematuros.

Não é uma tarefa de outro mundo. Um trabalho do Centro Médico Beth Israel, nos Estados Unidos, constatou que, quando os pais entoam canções de ninar a seus prematuros, os batimentos cardíacos, a respiração e até o sono deles melhoram. "Contar histórias, colocar uma música ou brincar com eles são atitudes que só colaboram", diz a psicóloga Elza Corrêa Cunha, da Universidade Federal de Sergipe. Com acompanhamento médico e família presente, o prematuro não antecipa problema algum. E eu, apesar de só estar por dentro disso tudo agora, não vou perder tempo em marcar meu checkup.

 

O que é um prematuro?

Considera-se que um bebê nasceu antes do tempo quando a gestação dura menos que 37 semanas. Mas há diferentes níveis de prematuridade: entre 32 e 36 semanas, os pequenos são chamados de prematuros tardios; aqueles nascidos no período de 28 a 31 semanas são denominados simplesmente prematuros; e os que tiveram de sair do útero entre 24 e 27 semanas são os prematuros extremos.

  Para nascer no tempo certo

Cigarro, álcool, infecções, excesso de peso e pré-eclâmpsia estão entre os principais fatores que levam uma mãe a dar à luz antes da hora. Por isso, adotar hábitos saudáveis e fazer o pré-natal é fundamental para a cegonha não se apressar. O ideal é procurar um especialista antes mesmo de engravidar a fim de que a mulher comece a gestação em equilíbrio.

Com ajuda de www.bebe.com.br

Leia mais ...

domingo, 15 de junho de 2014

Sabendo mais sobre a AIDS pediátrica

http://1.bp.blogspot.com/-Q74Mzren-c0/TsasJHm59qI/AAAAAAAABZk/Mc6kff0KAQQ/s400/aids+crian%25C3%25A7as.jpg

Muitas vezes, em consultório nos deparamos com uma criança portadora do virus HIV ue precisa da assistência profissional. Mais do que tratar o problema em si, precisamos entender como age esse virus nos sistemas das crianças. A principal "preocupação" é entender que o seu sistema imunológico ainda estão em desenvolvimento, fazendo com que crianças tenham o progresso de HIV muito mais rápido na sua doença do que os adultos. Tratamento de bebês nascidos com HIV deve começar imediatamente prevenir infecções oportunistas e outras complicações que podem resultar do sistema imunológico debilitado. AIDS Pediátrica pode resultar quando tratamentos de HIV não são bem sucedidos em suprimir o vírus no corpo da criança.

Causa de AIDS pediátrica

AIDS pediátrica é causada por uma criança nascer com a infecção do vírus ou ser transmitido a ele enquanto ainda é uma criança. Se o tratamento da infecção HIV não for bem-sucedida ou se o tratamento não é administrado, então, a criança pode progredir para AIDS Pediátrica quando o sistema imunológico é totalmente comprometido ou quando ela desenvolve doenças conhecidas como "infecções oportunistas" que uma criança saudável não se desenvolverá normalmente.

Transmissão do HIV

As formas mais comuns de uma criança tornar-se infectado com HIV são contato de sangue HIV-positivas durante o parto (claro, se a mãe é HIV-positivo) ou bebendo leite produzido por uma mulher HIV-positiva. Infecção pode ocorrer como resultado de transfusões de sangue, apesar de práticas modernas de prevenção a isso. Infecção pelo HIV durante a gravidez em si é extremamente rara, porque o vírus não entra a placenta.

Efeitos da AIDS pediátrica

Crianças com AIDS Pediátrica são muito mais propensas a desenvolver infecções graves dos ouvidos, seios paranasais e podem desenvolver outras doenças da infância em um maior grau de severidade. Outras infecções, como meningite, pneumonia e infecções do trato urinário também será mais comuns. Atrasos no desenvolvimento físicos e mentais podem ocorrer como resultado de infecção por HIV da criança, bem como as várias doenças que experimentam ainda jovem. As crianças HIV-positivas que não desenvolveram AIDS Pediátrica são mais suscetíveis a essas doenças e atrasos no desenvolvimento também.

Tratamento

Os medicamentos anti-retrovirais (ARV) mesmo que são usados para tratar a infecção de AIDS e HIV em adultos são dadas às crianças com AIDS e o HIV pediátrico. Se a mãe da criança é HIV-positivo a criança começará recebendo HIV droga AZT logo após o parto, mesmo que eles não receberam um diagnóstico de infecção por HIV pediátrico nesse ponto. Tratamentos ARV devem ser tomados em uma programação rigorosa sem faltando doses para manter os níveis de vírus no sangue baixo e evitar danos ao sistema imunológico.

Considerações especiais

AIDS pediatrica e a infecção pelo HIV podem causar diarréia e vômitos, assim como muitos dos tratamentos que são usados para combater o HIV.  Desidratação é uma ocorrência comum em pacientes de todas as idades, mas pode ser muito perigosa para crianças pequenas. Crianças que ficam doentes logo depois de tomar seu remédio podem ser necessário doses adicionais como resultado de vomitar a dose que eles tiveram sido dado.

Equívocos

Uma criança nascida de uma mãe soropositiva não tem necessariamente HIV; O AZT é dado começando no nascimento para ajudar a prevenir uma infecção de HIV de se desenvolver e a criança é testado regularmente por vários meses após o nascimento para ver se uma infecção de HIV se desenvolve. Embora as crianças nascidas de mulheres HIV-positivas irão testar positivo no nascimento, este geralmente é um falso positivo como a maioria dos testes de HIV indicam a presença de anticorpos de HIV e não o vírus em si. Com o tratamento adequado de tanto a mãe e a criança, há apenas cerca de uma chance de 2 por cento do HIV sendo repassado durante o parto. Crianças que desenvolvem uma infecção pelo HIV ou AIDS Pediátrica ainda podem viver uma vida normal com os devidos cuidados, no entanto e poderão desfrutar de uma vida normal.

Leia mais ...

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Educação postural começa em casa


 

Sabemos que manter uma postura correta nas atividades diárias é importantíssimo na prevenção de problemas diversos. Parece pouca coisa, mas imaginem determinada atividade sendo repetida por várias horas por dia, todos os dias com uma má postura. Ao longo do tempo esses vícios podem vir a se tornar de fato problemas de coluna, respiração e até de concentração. Isso, porque as más posturas atingem não só o sistema músculo-esquelético, mas também os órgãos internos. Uma atitude de escoliose, por exemplo, pode achatar ou comprimir os pulmões, diminuindo sua capacidades funcional, além de prejudicar a vascularização e oxigenação de todo o corpo. Por isso, é importante estimular desde a infância uma boa postura.

De uma hora para outra seu filho espichou. É a adolescência, fase em que mudanças repentinas e desordenadas envolvem o processo de maturação e refinamento da estrutura neuromusculoesquelética, possibilitando o aparecimento ou acentuação de problemas posturais, tão comuns e incômodos aos adolescentes. Horas sentados de mau jeito em frente ao computador ou uma postura "torta" ao andar ou ficar de pé são as causas mais comuns de dores na coluna.

O ideal é ensinar maneiras corretas de se locomover ou mesmo de ficar parado em pé, sentado ou deitado que sejam confortáveis para as crianças. Não adianta exigir algo que ela não possa sustentar por muito tempo e nem levar para seu dia-a-dia, quando estiver longe dos seus olhos. Confira algumas dicas:

  • Na hora de assistir televisão ou jogar vídeo game, certifique-se de que a TV esteja na altura dos olhos, que a criança enxergue a tela mantendo o pescoço reto e a boca fechada. Se ela estiver mais baixa do que a tela, precisará flexionar o pescoço para enxergar. Essa postura muitas vezes acarreta em dois outros péssimos hábitos: curvar a coluna e manter a boca aberta.
  • Ainda na hora da televisão, não deixe que seu filho relaxe no sofá jogando as costas para trás com os pés no chão, um hábito muito danoso à coluna lombar. Ele pode relaxar esticando as pernas numa banqueta à frente do sofá, ou então sentando com as pernas cruzadas na "postura do índio".
  • Durante as refeições, ensine os pequenos a sentarem-se sobre os ísquios, os ossinhos da bacia que sentimos quando sentamos num lugar mais duro. Encontre os seus ísquios e ensine a criança a encontrar os dela. Sentar sobre os ísquios, e não sobre o sacro (osso triangular do fim da coluna),garante uma coluna ereta.
  • Se ao sentar os pés da criança não tocarem o chão, e a cadeira não for regulável, propicie um pequeno apoio no chão, certificando que os pés fiquem devidamente apoiados e que os joelhos fiquem dobrados em 90 graus. Pode ser um banquinho ou mesmo listas telefônicas.
  • Na hora de sentar à escrivaninha ou ao computador, uma sugestão divertida é substituir as cadeiras pelas bolas suíças, aquelas bem grandes usadas para exercícios. Quando sentamos na bola, automaticamente corrigimos nossa coluna, porque se nos curvarmos, escorregamos para frente. Além disso, a bola é ótima para as brincadeiras ou alongamento das crianças.
  • Ensine a criança a dormir de lado, com as pernas flexionadas, como na postura fetal. O uso de almofadas, travesseiros ou quaisquer outras formas de apoio são sempre válidas para trazer conforto à postura correta. Nesse caso, você pode ajudá-la a colocar um travesseiro na cabeça, um entre as pernas e outro para abraçar. Ainda que ela se mova durante à noite, se aprender a gostar dessa postura,irá buscá-la naturalmente.

A postura correta traz saúde aos ossos, músculos e orgãos internos."A postura correta, além de aumentar a autoconfiança, traz saúde aos ossos, músculos e orgãos internos."

E sempre estimule as crianças a fazerem exercícios ou praticar esportes, só assim poderão desenvolver a consciência corporal, fundamental para que ela mesma se corrija. Se você sentir que seu filho precisa de mais ajuda, não hesite em procurar um profissional competente.

Leia mais ...