Atenção, mamães e papais. Toda criança que reclama de dores na coluna precisa passar pelo médico. Nessa fase, os pequenos têm energia para ...

Dor na coluna em criança


Atenção, mamães e papais. Toda criança que reclama de dores na coluna precisa passar pelo médico. Nessa fase, os pequenos têm energia para fazer as maiores estripulias e seus corpos se adaptam, sem maiores danos, à rotina de correr, pular, saltar, brincar. A dor é um aviso de que algo não está no lugar certo.

É sempre bom ficar de olho na curvatura da espinha. A coluna tem curvas absolutamente naturais: um arco para dentro na lombar e na cervical, além de um arco para fora na região do tórax. Os problemas aparecem quando essa forma normal se torna exagerada. Ou então se houver uma rotação da coluna em seu próprio eixo é a chamada escoliose.

Um simples teste

Se suspeitar de alguma alteração, faça o seguinte: fique atrás da criança e peça para ela descer o tronco com os braços e os joelhos esticados em direção ao chão. Observe se um lado do tronco está mais alto que o outro. Nesse caso, existe o risco de problema postural. Procure um especialista para orientá-lo sobre o que fazer para minimizar as conseqüências na idade adulta.

  Segundo o Ministério da Saúde, um a cada três bebês que nascem de forma prematura morrem antes de completarem um ano de vida. Já aqueles...

Fisioterapia ajudando bebês prematuros

 

Segundo o Ministério da Saúde, um a cada três bebês que nascem de forma prematura morrem antes de completarem um ano de vida. Já aqueles que sobrevivem podem apresentar problemas respiratórios e musculares.

Diante desse cenário, sessões de fisioterapia ajudam a evitar complicações e garantem o desenvolvimento dos bebês.

Os movimentos, leves e suaves, parecem até uma simples brincadeira, mas são eles que trazem esperança de um melhor crescimento para os bebês prematuros.

Veja aqui o video da reportagem

Fisioterapia Pediátrica é um guia clínico e uma referência completa em fisioterapia pediátrica, que aborda todos os aspectos ...

Dica de Livro: Fisioterapia Pediátrica

http://i.s8.com.br/images/books/cover/img5/21388855_4.jpg

  • Fisioterapia Pediátrica é um guia clínico e uma referência completa em fisioterapia pediátrica, que aborda todos os aspectos teóricos e clínicos da fisioterapia para crianças e jovens adultos: ; Neurológico ; Cardiorrespiratório ; Musculoesquelético ; Oncológico e cuidados paliativos ; Saúde mental ; Lesão cerebral adquirida.

  • Editora: Elsevier
  • Autor: TERESA POUNTNEY
  • ISBN: 9788535229493
  • Origem: Nacional
  • Ano: 2008
  • Edição: 1
  • Número de páginas: 384
  • Acabamento: Brochura
  • Formato: Médio
Vja maiores informações clicando aqui

Hoje eu poderia comemorar com um video, com uma foto bacana ou com um discursso em voz lindão. Poderia simplesmente desejar um Feliz Dia dos...

Obrigada Fisioterapia


Hoje eu poderia comemorar com um video, com uma foto bacana ou com um discursso em voz lindão. Poderia simplesmente desejar um Feliz Dia dos Fisioterapeutas. Desejar PARABENS efusivamente. Mas eu quero mais.

Queria dizer  quanto é importante ter um dia para comemorar alguma coisa. Se no dia do nosso aniversário, o dia é nosso, com todo mundo parabenizando e fazendo teroricamente tudo que a gente quer, devemos fazer isso pela Fisioterapia também.

Então hoje, mais do que mandar mensagens via internet ou parabenizar pessoalmente um colega de profissão, pense, reflita ssobre o que você pode fazer para elevar cada vez mais o nome da Fisioiterapia. Porque elevando o nome da Fisioterapia você estará entrando no seleto grupo de profissionais que fazem o que amam. Vamos refletir???

Deixo aqui, claro, o meu agradecimento a essa jovem senhora de 41 anos que ao longo de 8 anos de formatura me proporcionou tantas experiências que sou incapaz de lembrar uma a uma.  Mas é impossível esquecer a felicidade de paciente quando recebe alta, a Vozinha querida que leva o bolinho para o lanchinho da tarde, o sorriso quando você não está em um dia bom ou até mesmo a lição de pessoas que estão se recuperando funcionalmente, mas não tirão o sorriso da cara.

As lições que a Fisioterapia me proporciona são tantas que me fazem evoluir, dia após dia, não só como profissional mas como pessoas. E é por isso que eu agradeço. Efusivamente. Assim como é efusivamente que eu dou cada PARABENS, para cada profissional.

Gente, vamos cuidar da Fisioterapia?!

Tomando como base o ultimo artigo que foi postado aqui no blog, separei uma página muito importante para o aprendizado do fisioterapeuta n...

Artigos para Neonatologia


Tomando como base o ultimo artigo que foi postado aqui no blog, separei uma página muito importante para o aprendizado do fisioterapeuta nesta area.

Clique aqui e veja inumeros artigos de Neonatologia.

Ah, ganhe um BRINDE do BLOG. Veja como ganhar.


A Neonatologia (do latim: ne(o) - novo; nat(o) - nascimento e logia - estudo), é  o ramo da Pediatria que  se ocupa das crianças  desde o  n...

Historia da Neonatologia


A Neonatologia (do latim: ne(o) - novo; nat(o) - nascimento e logia - estudo), é  o ramo da Pediatria que  se ocupa das crianças  desde o  nascimento até aos 28 dias de idade (quando as crianças deixam de ser recém-nascidos passam a ser lactentes).

Na atualidade são muito frequentes os grandes prematuros com muito pouco peso, que ao ultrapassarem os 28 dias de vida, continuam sob o cuidado do Neonatologista, porque ainda necessitam de estar internados nas Unidades Neonatais.

Pierre Budin, obstetra de origem francesa é considerado o pai da Neonatologia. Foi o primeiro a escrever um livro (1892) sobre lactentes nascidos de parto prematuro e classificou as crianças em pequenas e grandes para a idade gestacional.

Em 1914,o Dr. Julius Hess e o Dr. Evelyn Lundeen implantaram unidades de cuidados para recém-nascidos prematuros no Michael Reese Hospital em Chicago.

Em 1924 o pediatra Albert Peiper interessou-se pela maturação neurológica dos prematuros.

Por volta de 1940 foram unificados os critérios para manejo dos recém-nascidos prematuros e foram inventadas as incubadoras para que se pudesse controlar a temperatura dessas crianças. Nessa altura Budin estudou a influência da temperatura ambiente na mortalidade dos prematuros, tendo sido o primeiro a usa garrafas de vidro com água quente para termorregulação dos bebés durante o transporte neonatal.

Em 1953 a Dra. Virginia Apgar divulgou no meio científico a sua escala para avaliação do grau de asfixia neonatal e de adaptação á vida extra uterina (Escala de Apgar).

Em 1957 Ethel Dunham escreveu o livro "O Prematuro".


Em 1960 o Dr. Alexander Schaffer usou o termo Neonatologia pela primeira vez no livro "Diaseases of the Newborn".

Na década de 60 começaram a ser utilizados os monitores electrónicos, as gasometrias arteriais tornaram-se possíveis e surgiram antibióticos apropriados para tratar as sépsis neonatal.

Em 1967 o Colégio Americano de Ginecologia e Obstetrícia reconheceu a necessidade do trabalho conjunto dos Obstetras e Neonatologistas  para diminuir a mortalidade perinatal. Iniciou-se assim, em 1973, o primeiro Serviço de Cuidados Perinatais nos EUA.

Na década de 70 houve progressos importantes na nutrição, alimentação por sondas e na alimentação parenteral. Tornou-se rotina o uso de cateteres umbilicais.

Uma das mudanças mais importantes na Neonatologia foi a  atenção intensiva para o recém-nascido prematuro e a vigilância dos problemas respiratórios, através do uso da ventilação mecânica.

Em  1887 Dwyer utilizou o primeiro  ventilador rudimentar de pressão positiva e Egon Braun e Alexander  Graham Bell introduziram a pressão negativa em 1888. Em 1953 Donald e  Lord introduziram a uso do  ventilador com  ciclos.

Em 1971 Gregory, Kitterman  e Phibbs introduziram  a Pressão Positiva Continua nas vias aéreas  (CPAP). Pouco depois  Bird com  a colaboração de  Kirby desenvolveram o primeiro ventilador neonatal de pressão positiva, o "Baby Bird".

Posteriormente, através de um melhor conhecimento da fisiologia respiratória neonatal, foram melhorados os resultados da assistência respiratória mecânica aos recém-nascidos. É de  destacar ainda as contribuições de Downes, Anderson, Silverman, Gregory e Fujiwara com o uso de surfactante exógeno.

A Neonatologia avançou muito nos últimos tempos, conseguindo menores índices de mortalidade  e de morbilidade graças a uma maior compreensão das particularidades dos recém-nascidos, melhores equipamentos e medicamentos.

Retirei daqui

Faça Fisioterapia